Pilares

No campo tecnológico, o projeto RAIES propõe a administração de ferramentas qualitativas, como avaliação de risco/impacto e design orientado por valores, e quantitativas, como relatórios de segurança, avaliação por métricas de fairness, ferramentas de interpretabilidade e administração de ataques adversarias, todas com o intuito de avaliar e melhorar a robustez de um determinado sistema.

A Ética da Inteligência Artificial é um ramo da Ética Aplicada onde estudasse os aspectos normativos da interação humano-IA. A Ética da IA traz a "pergunta moral" para dentro do desenvolvimento tecnológico: "O que deveríamos fazer com sistemas autônomos inteligentes?". Apenas respondendo a esta pergunta que podemos garantir que o desenvolvimento da IA ocorra  de forma a salvaguardar valores humanos, e minimizar os impacto e prejuízos causados a nós, os demais seres vivos, e a nosso ambiente.

À medida que a IA assume o papel de automatizar processos que influenciam e impactam a vida das pessoas, a responsabilidade das empresas que desenvolvem e utilizam tais sistemas aumenta, pois é necessário gerenciar os potenciais riscos e implicações sócio-técnicas da adoção deste tipo de tecnologia, garantido a robustez e confiabilidade dos sistemas desenvolvidos.